Seberi: médicos do Samu Avançado pedem rescisão do contrato

Os quatro médicos que integram hoje o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), unidade avançada, com sede em Seberi, entregaram à direção do Hospital Pio XII, que administra o serviço, na tarde desta quinta-feira, 6, o pedido de rescisão do contrato.
A equipe está há praticamente sete meses sem receber os salários e já notificou a entidade gestora por inúmeras vezes, disseram os profissionais, porém, sem êxito, o que levou a equipe a definir pela paralisação das atividades e pedido de cancelamento do contrato. “Participamos de reuniões com a direção do hospital, com a prefeitura, fomos até Porto Alegre, na Coordenadoria Regional de Saúde, no Ministério Público, porém a situação não foi resolvida. Nossa intenção não era deixar de fazer atendimento, mas buscar a regularização dos salários de toda a equipe, não somente dos médicos”, disse Jorge Alan Souza.
O que dizem os gestores
O presidente da casa de saúde, Célio Tomczack, confirmou o atraso no recebimento e consequentemente repasse dos valores. Salientou que os profissionais precisarão cumprir os 30 dias antes da rescisão. “Eles têm um contrato conosco que diz que precisam avisar em caso de suspensão do contrato com 30 dias de antecedência, então temos esse período para buscar novos profissionais para atuar no serviço. Ao final deste prazo, ou seja, a partir de outubro, também vence o contrato do hospital com o município para a gestão do Samu. Essas duas situações serão tratadas em conjunto com a Administração”, expôs.
A Administração de Seberi ainda em abril já manifestou preocupação sobre a manutenção do serviço e vem buscando, desde então, a formação de um consórcio regional entre as prefeituras, para subsidiar a unidade que hoje atende mais de 20 municípios.(Fonte: Eloise Santi/Folha do Noroeste )

Comentários