Idosa revela como perdeu mais de R$ 10 mil no golpe do bilhete premiado

Em uma recente segunda-feira, uma senhora de 74 anos caiu em um dos golpes mais antigos que se conhecem: o do bilhete premiado. Servidora estadual aposentada, ela retornava de uma consulta médica no centro de Porto Alegre quando uma mulher a abordou.  

Na ocasião, a pessoa lhe pediu ajuda para sacar um prêmio em uma agência bancária. Alegou ser analfabeta e sequer portar um documento. Precisava de testemunhas. Em seguida, uma segunda mulher — bem-vestida, segundo a vítima — apareceu. Disse que também a ajudaria, mas que precisariam confirmar a veracidade do prêmio. De acordo com a idosa, a suposta dona do bilhete era morena e “corpulenta”. A segunda estelionatária era loira, alta e magra. 


Em uma rápida ligação, no viva-voz, um suposto atendente da Caixa confirmou os números sorteados. A partir de então, foi iniciada uma via-sacra pela cidade, que duraria mais de quatro horas. A dita vencedora do prêmio daria às mulheres uma recompensa, mas precisava de uma garantia em troca.  
Enganada, a vítima sacou os R$ 10 mil que tinha na conta corrente em três diferentes agências da Caixa, em Porto Alegre. Foram R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil. Depois, as golpistas fizeram compras superiores a R$ 2 mil com o Banricompras da idosa, em sapatos e bolsas, em lojas do centro de Porto Alegre, ao constatarem que o saldo da conta corrente estava zerado. A vítima não desconfiou de nada. 
Ao ler sobre a megaoperação deflagrada no último fim de semana, que desarticulou uma quadrilha do bilhete premiado que atuava a partir de Passo Fundo, a idosa resolveu relatar o que passou. Moradora da zona norte da Capital, ela quer alertar outras pessoas para evitar que também sejam ludibriadas. Por motivos de segurança, a idosa preferiu não se identificar. (Fonte:Gaúcha ZH)

Comentários