Governador manifesta pesar pelo falecimento de Fábio Koff

O governador José Ivo Sartori lamentou, nesta quinta-feira (10), o falecimento do ex-presidente do Grêmio Futebol Porto-Alegrense Fábio Koff, aos 86 anos.

“O Rio Grande amanheceu triste. Perdemos Fábio Koff, um grande amigo e memorável dirigente da história do futebol gaúcho e brasileiro, presidente do Grêmio, referência na gestão esportiva, respeitado por todas as torcidas. Nosso carinho e solidariedade aos familiares e amigos”, disse o governador, destacando que Koff foi secretário estadual no governo de Pedro Simon. Exerceu também o cargo de presidente da Corsan.

Fábio Koff faleceu às 7h20 desta quinta-feira, no Hospital Moinhos de Vento, onde estava internado desde o último dia 3. O velório ocorre das 15h30 às 22h, no hall do Portão A da Arena do Grêmio.

TRAJETÓRIA

Formado em Direito, Fábio Koff exerceu a profissão pelo interior do Estado, passando por Passo Fundo, Flores da Cunha, Frederico Westphalen e São Jerônimo. Nesse período, acompanhava os jogos do tricolor pelo rádio. Em 1958, tornou-se sócio do clube e, já em Porto Alegre, entrou para o Conselho Deliberativo no dia 1º de julho 1967.

Com apenas 36 anos, começava uma trajetória de relevantes serviços prestados ao Grêmio. Em 1976, foi eleito vice-presidente de futebol na gestão de Hélio Dourado. Em 1980, concorreu pela primeira vez à presidência do clube, sendo derrotado pelo próprio Hélio Dourado.

Porém, no final de 1981, foi eleito presidente pela primeira vez. Nessa passagem, conquistou a primeira Copa Libertadores e o Mundial, tornando-se o mais vitorioso presidente da história do Grêmio. Em 1990, Koff foi eleito presidente do Conselho Deliberativo. Dois anos depois, voltou à presidência, para mais uma trajetória vitoriosa, sendo reeleito para o mandato 1994/96. Nesse período, voltou a conquistar a Libertadores, em 1995, além da Recopa e do Brasileiro de 1996, a Copa do Brasil de 1994 e os campeonatos estaduais de 1993, 1995 e 1996.

Em 1995, Koff foi eleito presidente do Clube dos Treze, cargo no qual permaneceu por 16 anos. Em 2012, logo após a inauguração da Arena, foi reeleito presidente para seu quarto e último mandado à frente do clube do seu coração. Renegociou o contrato da gestão da nova casa gremista. Em 2014, assumiu como vice-presidente de Futebol, cargo que ocupou até março de 2015. A partir desse período, permaneceu ligado ao Grêmio na defesa dos interesses do clube.

Texto e edição: Secom - com informações da Assessoria de Imprensa do Grêmio Futebol Porto-Alegrense

Comentários