Alto Comissário da ONU acusa o regime sírio de criar o "apocalipse"

O Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos acusou o regime sírio de criar o "apocalipse" em seu país e afirmou que o conflito entrou em uma "fase de horror". "Este mês, Ghuta Oriental foi descrita pelo secretário-geral (da ONU) como um inferno na terra", afirmou Zeid Ra'ad al Hussein ao apresentar seu relatório anual ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

"No próximo mês, ou no seguinte, será outro lugar em que as pessoas enfrentarão o apocalipse, um apocalipse pretendido, planejado e executado por indivíduos do governo, aparentemente com o apoio total de alguns de seus aliados estrangeiros", completou. "É urgente inverter esta tendência catastrófica e enviar a Síria ao Tribunal Penal Internacional", disse o Alto Comissário. Mas esta hipótese parece pouco provável, já que a instituição depende do Conselho de Segurança, no qual a Rússia continua protegendo a aliada Síria.

O conflito na Síria começou em março de 2011 com a repressão de manifestações pró-democracia. Com o passar dos anos se tornou uma guerra complexa, com a participação de vários personagens. Mais de 340.000 pessoas morreram em quase sete anos. "Agora o conflito entra em uma nova fase de horror", afirmou Zeid, que denunciou "o enorme derramamento de sangue em Ghuta Oriental. (Fonte: Correio do Povo)

Comentários